Centro Cultural Justiça Federal

Uma das das clássicas construções remanescentes da antiga Avenida Central, atual Avenida Rio Branco, o prédio está localizado bem próximo ao Teatro Municipal, Museu Nacional de Belas Artes e Biblioteca Nacional, é de estilo eclético e seu projeto inicial foi assinado por Adolfo Morales de Los Rios – grande arquiteto, que foi responsável por 21 projetos na antiga Avenida Central.

Centro Cultural Justiça Federal

A construção foi parte integrante do projeto de reformulação da cidade do Rio de Janeiro, então Capital Federal, na gestão do prefeito Pereira Passos e estava destinado, inicialmente, a abrigar a Mitra Arquiepiscopal, entretanto o Cardeal do Rio naquela época resolveu que o local talvez não seria o ideal para abrigar um edifício com tais funções. Assim outra construção de proporções palacianas e mais imponente foi erguida no bairro da Glória, palácio este que continua como uma das belas construções do bairro da Glória, mas essa é uma história para outro post 😉

O prédio foi adquirido pelo Governo Federal para a instalação do Supremo Tribunal Federal e foi inaugurado em 3 de abril de 1909. O STF ocupou o prédio até 1960, quando a Capital Federal foi transferida para Brasília. Desde então, a edificação abrigou o Superior Tribunal Eleitoral, o Tribunal de Alçada e varas da Justiça Federal. Por mais de 50 anos, o prédio foi palco de pronunciamentos de toda a classe jurídica brasileira e testemunha das mais importantes decisões da história da Justiça no país. Em 1988, o prédio foi interditado, pois corria o risco de desabar. No ano de 1994, foram iniciadas as obras de restauração do edifício, destinado agora a sediar um centro cultural. O trabalho foi considerado, na época, a maior obra da restauração da América Latina. Após sete anos de restauração, foi aberto ao público em 4 de abril de 2001 já como Centro Cultural.

O Centro Cultural Justiça Federal é uma espaço reconhecido por incentivar e garantir o acesso da população às diversas formas de expressão cultural. O espaço, tombado provisoriamente em 2006 pelo Inepac, dispõe de 12 salas de exposição, teatro, biblioteca, cafeteria, sala de sessões e sala de leitura e o cinema, denominado Cine Cultural Justiça Federal.

O prédio que hoje abriga o Centro Cultural Justiça Federal chama a atenção pela beleza e história. A arquitetura é um dos pontos altos com elementos do classicismo francês na fachada, outros destaques da construção são as portas monumentais da entrada talhadas pelo português Manoel Ferreira Tunes, a escadaria com mármore de Carrara e ferro trabalhado revelando o estilo Art Nouveau, as janelas retangulares que fazem lembrar o estilo gótico, as balaustradas do Renascimento francês e o vitral principal pintado por Rodolfo Amoedo. A antiga Sala de Sessões do Supremo Tribunal Federal mantém o mobiliário confeccionado em 1920.

Atualmente o centro cultura recebe a exposição de artes plásticas Pernas pra que te quero, onde a escultora Aline Matheus utiliza como matéria-prima o barro, o ferro, a resina, o aço e a reutilização de materiais derivados da indústria naval e madeiras brutas de demolição, subvertidos do seu contexto original. Na mostra, apresenta-se o corpo como objeto do pensamento, carregando as marcas de gênero, classe e de origem.

Curiosidade:
Para os amantes das construções antigas, talvez seja um dos últimos edifícios ainda em pé projetados pelo arquiteto Adolfo Morales de los Rios, um arquiteto de grande destaque nos primeiros anos do século, quando se encontrava no auge da preferência da época a arquitetura eclética.

O Centro Cultural fica aberto de terça a domingo, das 12h às 19h.
Av. Rio Branco, 241 – Centro – RJ

Como chegar:
De metrô, o visitante pode utilizar a estação Cinelândia, saída Pedro Lessa.
De VLT, utilize uma composição da Linha 1 (azul) e desça na parada Cinelândia.

Para mais informações acessem o site http://www10.trf2.jus.br/ccjf/

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *